SEO para e-commerce: aprenda a colocar sua loja virtual no topo do Google

SEO para e-commerce: aprenda a colocar sua loja virtual no topo do Google

Seu site não tem tráfego orgânico? O pessoal da RockContent voltou para ensinar como colocar sua loja virtual no topo do Google.

Você já parou para pensar que grande parte do tráfego da sua loja virtual pode ou poderia ser originado das buscas feitas no Google?

Quando as pessoas querem comprar ou saber mais informações sobre um produto, é mais fácil fazerem uma pesquisa no Google do que entrarem no site de alguma loja.

Afinal, elas confiam que o buscador entregará uma solução certa (e ele resolve de fato).

Essa é só uma de muitas razões para fazer SEO para e-commerce. Investir em otimização para mecanismos de busca é trabalhar para fazer sua loja aparecer no lugar certo sempre que os consumidores procurarem por algum conteúdo ou oferta nessas plataformas.

Hospedagem de Sites

Mais Segurança, Suporte Especializado, Discos SSD e Migração Gratuita.

Conheça a Hospedagem de Sites

Por essa razão, vamos falar sobre o funcionamento do SEO para lojas virtuais, seus benefícios e como suas técnicas podem ser aplicadas. Continue conosco!

Veja também algumas ferramentas para e-commerce para você ter o máximo de desempenho da sua loja virtual.

Como funciona o SEO para e-commerce?

O que diferencia o SEO de e-commerce do SEO para sites e blogs são suas estratégias e objetivos. Como é um ambiente mais voltado para as vendas, as técnicas também caminham para esse lado – a não ser que a loja também possua um blog (o que, por sinal, é bastante indicado).

Por exemplo, quando falamos em palavras-chave para um blog, elas devem ser focadas nos temas de interesse do público (que pode estar tanto no início da jornada do cliente quanto em uma fase de consideração das soluções) e, ao mesmo tempo, devem resumir o conteúdo da página em questão.

Já no e-commerce, as palavras-chave também devem ser relevantes para o público, mas elas devem descrever os produtos ofertados nas páginas. Afinal, a intenção é capturar o interesse dos consumidores que pesquisam por aquela mercadoria no Google ou em outro buscador.

Quer um exemplo claro?

Se você tem um e-commerce e um blog sobre games, pode ter uma página de produto e um conteúdo sobre o console Xbox One.

O conteúdo poderia carregar a palavra-chave: “vantagens do Xbox One”. Perceba que é uma expressão usada por quem considera a compra desse console, mas ainda não se decidiu.

Já uma página de oferta na loja poderia ter a palavra-chave: “Xbox One com Kinect”. Note que é uma busca mais específica e característica de quem tem o desejo de adquirir o videogame ou, pelo menos, está avaliando as opções de compra.

Mas nem tudo no SEO para e-commerce é diferente das demais otimizações. Tem muita técnica usada em sites e blogs que também serve para lojas virtuais.

Antes de falarmos sobre elas, vamos abordar as vantagens do investimento em SEO.

Quais são benefícios dessa otimização para as lojas virtuais?

Só o objetivo de posicionar seu e-commerce nas primeiras colocações do Google para as palavras-chave usadas já justificaria os esforços em aplicar o SEO em sua loja. No entanto, a otimização para motores de busca carrega outros benefícios bem interessantes.

A seguir, você conhecerá mais 3:

1. Gerar mais visitas orgânicas

Ao aplicar as técnicas de SEO, o objetivo é conquistar o topo das buscas orgânicas do Google.

Claro que não é da noite para o dia que se consegue chegar tão longe, ainda mais com a concorrência acirrada para ter boas posições no ranking com o crescimento do Marketing Digital no país.

Você pode esperar por meses para figurar entre as primeiras referências. No entanto, é um esforço que compensa bastante pelo viés financeiro.

Mais visitas orgânicas representam um menor custo por lead, menor custo por aquisição de cliente e maior retorno sobre o investimento. Em suma, trata-se de gerar mais oportunidades gastando menos dinheiro.

2. Conseguir tráfego qualificado

O tráfego qualificado é aquele em que somente pessoas interessadas em seus conteúdos e ofertas chegam no site.

Esse interesse é demonstrado tanto na forma como a busca é feita quanto na palavra-chave escolhida pelos administradores do site.

Por exemplo, quando uma pessoa pesquisa no Google por “livros de marketing”, ela deve estar interessada em conhecer e/ou comprar títulos desse segmento, certo?

Se você tem uma livraria online e tem lá uma página de categoria para livros de marketing, então sua loja poderá aparecer entre os resultados de pesquisa.

Caso você consiga atrair essa visita, provavelmente ela será qualificada. Afinal, trata-se de uma pessoa que queria livros de marketing e que pode encontrar em sua loja o que precisava.

Dificilmente, uma pessoa interessada em “agências de marketing” chegaria até sua livraria.

3. Aumentar a credibilidade da sua marca no mercado

Há uma visão entre os consumidores de que se um site está lá na primeira página ou entre os primeiros resultados de pesquisa, é porque ele é relevante e confiável. E esses dois valores são importantes para uma marca ter mais credibilidade no mercado.

Esse argumento tem bastante lógica, principalmente se analisarmos a forma como o Google avalia as páginas mais bem posicionadas. Há de se considerar que essa plataforma valoriza muito os sites que entregam uma ótima experiência de usuário.

Isso é mais do que apenas entregar o que o público pesquisa no motor de busca. Trata-se, também, de oferecer uma navegação agradável em todos os dispositivos, um conteúdo único e relevante, um carregamento rápido de páginas, enfim, valores que tornam a experiência do visitante memorável.

Se o seu site está fazendo bem aos visitantes, então o Google fará com que ele tenha uma boa posição em seu ranking.

Como otimizar um e-commerce para os motores de busca?

É muito legal saber como uma loja pode se beneficiar com o SEO, mas isso pouco adiantará se você não souber como aplicar isso na prática, não é verdade?

Por isso, preparamos 6 dicas para você começar o trabalho de otimização em sua loja virtual. Confira:

1. Tenha em mente que seu conteúdo será o seu carro-chefe

O conteúdo carrega essa importância porque ele é quem informa, vende, educa e entretém o público.

Pouco adiantará ter um ótimo design ou preços imbatíveis se o conteúdo da loja for pobre e irrelevante para os visitantes.

Por outro lado, pense em como páginas completas e com muitas informações podem sanar as dúvidas dos consumidores e segurá-los por mais tempo no site.

Quando um conteúdo resolve o problema que uma pessoa buscava resolver, ou seja, quando é útil e valioso, ele tem grandes chances de ser compartilhado espontaneamente por sua audiência.

Isso, naturalmente, leva mais tráfego para o site, mais links de outros domínios para o seu, enfim, tudo o que o Google leva em conta para posicionar melhor as páginas no ranking.

2. Busque palavras-chave relevantes e específicas

Uma palavra-chave relevante é aquela que tem um alto volume de buscas mensais e que seja de interesse da sua persona, isto é, um termo que é bastante usado para pesquisas pelo público que você quer atingir.

Ela se torna ainda mais interessante se não tiver uma concorrência muito alta, pois quando a disputa pela palavra-chave é muito acirrada, subir na classificação se torna um processo lento.

Já as palavras-chave específicas, ou de cauda longa, são indicadas para gerar um tráfego ainda mais qualificado para as suas páginas.

Você se lembra do exemplo que usamos das pessoas que pesquisam por livros de marketing? Então, você pode segmentar ainda mais esse tráfego se criar páginas e usar palavras-chave específicas para os autores mais populares (ex.: livros de Kotler).

3. Otimize os títulos das suas páginas

Após a definição das palavras-chave, elas devem ser espalhadas em diversas partes da sua página, como texto, subtítulos, imagens e URLs. Contudo, os títulos merecem um destaque por seu peso como fator de ranqueamento.

O texto escrito na tag <title> de uma página é aquele que aparecerá nos resultados de busca no Google, ou seja, ele será o primeiro contato entre sua loja e o público interessado em alguma oferta ou conteúdo que você aborda.

Além disso, o título é uma das primeiras coisas que o Google avalia para descobrir do que se trata uma página indexada.

Por isso, os títulos devem ser otimizados. Isso pode ser feito com algumas pequenas técnicas:

  • Inserir a palavra-chave da página mais à esquerda;
  • Descrever mais algum detalhe do produto ou conteúdo que convença o público a clicar;
  • Fazer tudo isso em 63 caracteres, que é o limite de corte do Google;

4. Torne suas imagens rastreáveis e mais leves

O e-commerce é um tipo de site que costuma aproveitar muitas imagens, até porque elas são necessárias para descrever e vender seus produtos.

O problema é que muitos donos de loja virtual ou profissionais de marketing responsáveis pela inserção das imagens não percebem que elas também precisam ser otimizadas.

Deve-se levar em conta que o Google não lê as imagens como nós as lemos. O buscador precisa de códigos para entender o que uma ilustração ou foto representa.

O seu papel, nesse caso, é usar as tags <alt> e <src>. A primeira é utilizada para falar sobre o conteúdo da imagem (pode ter a palavra-chave) e a segunda refere-se ao nome do arquivo.

Assim, você facilitará a vida do Google e poderá ganhar umas posições nas buscas globais e, principalmente, nas de imagens.

5. Mantenha suas URLs amigáveis

A ideia de construir URLs amigáveis é simples. Em vez de usar aqueles links feios e que pouco ajudam a entender o conteúdo da página, utiliza-se um endereço mais limpo e que passe uma ideia clara do que o público encontrará.

Por exemplo, esqueça URLs como “http://www.meusite.com.br/produtos.php?categoria=1” e dê prioridade aos links como “http://www.meusite.com.br/produtos/camisetas/masculinas”.

6. Melhore o tempo de abertura das páginas

Um dos principais fatores de ranqueamento de páginas no Google é o tempo de abertura. Aliás, cada segundo perdido para carregar um site pode trazer prejuízos significativos para a loja.

A Amazon, por exemplo, chegava a perder U$ 1.6 bilhões por ano para cada segundo perdido no carregamento de suas páginas.

Portanto, é bom não testar a paciência do seu público! Para isso, procure reduzir o tamanho dos arquivos das imagens, compactar os códigos CSS e Java, enfim, dê uma olhada nas dicas que o PageSpeed Insights pode dar para o seu site.

Conclusão

Enfim, o SEO para e-commerce vai muito além das dicas que detalhamos. Para você ter uma ideia, existe cerca de 200 fatores de ranqueamento que devem ser explorados para conseguir aparecer no topo das pesquisas do Google.

De modo geral, um bom trabalho de SEO deve ser focado nos interesses, preferências e hábitos das suas personas. Quando você conhece os problemas do seu público, fica mais fácil de criar uma experiência boa para ele.

Isso não criará uma boa reputação apenas com os consumidores, mas também com o Google, que premiará suas páginas com melhores colocações em suas pesquisas. Assim, a expectativa é de ganho de tráfego, de economia, de credibilidade e, claro, de vendas.

Além do uso das técnicas de SEO, as lojas virtuais podem adotar outras estratégias para aparecer no topo das pesquisas do Google. Uma dessas maneiras é por meio do Google Shopping. Por isso, descubra como essa plataforma funciona e como atrair tráfego para o seu e-commerce!

*Esse post foi produzido pela equipe da Rock Content

Servidor dedicado vs Cloud Server vs VPS
A seguir:

Servidor dedicado vs Cloud Server vs VPS

Servidor dedicado vs Cloud Server vs VPS