Estatísticas do e-Commerce no Brasil em 2016

Estatísticas do e-Commerce no Brasil em 2016

Os hábitos de compra estão mudando e isso não é novidade. Os dados sobre o e-Commerce no Brasil, mostram que o setor começou o ano em baixa, mas conseguiu se recuperar e fechar o semestre com lucro, contrariando a crise econômica do país.

O E-bit divulgou o relatório WebShoppers que revela uma arrecadação de R$19,6 bilhões de reais, o que representa um crescimento de 5,2% com relação a 2015.

Agora eu sei que você pode estar pensando três coisas:

  • Eu sabia disso, meu e-Commerce faturou bem!;
  • Minha loja virtual vai bem, mas ainda não consegui um lucro expressivo;
  • Esses dados não podem ser reais, estou vendendo pouquíssimo;

Nesse texto eu vou te mostrar que a expectativa para o e-Commerce no Brasil é de crescimento para o segundo semestre e próximos anos e como você pode acompanhar o crescimento do mercado.

Dados do primeiro semestre

Com a crise foi preciso enxugar os custos, repensar a forma de comprar. E esse foi um fator que contribuiu para o crescimento do e-Commerce no Brasil em 2016, pois na internet é possível comparar os preços e produtos e assim comprar no melhor lugar.

Prova disso é que o número de compradores ativos, aumentou em 31%! O que representa um total de 23,1 milhões de clientes online. Um número que com certeza deve ser levado em conta na hora de divulgar sua loja e conquistar novos clientes.

Outros fatores que impactaram o crescimento do e-Commerce no Brasil, foram as compras feitas pelos dispositivos móveis, 23% das compras de junho, e o aumento da média de gasto, que está em R$ 403,46 e representa um aumento de 7%. De acordo com o relatório este número também foi puxado pelo aumento nos preços dos produtos.

A região que mais comprou online foi disparada a Sudeste, com 63,8%. As que mais aumentaram a participação foram Sul, chegando a 14,5% e Centro-Oeste com 6,6%.

Regiões que mais compram:

  • Sudeste – 63,8%
  • Sul – 14,5%
  • Nordeste – 12,5%
  • Centro-Oeste – 6,6%
  • Norte – 2,6%

O relatório mostrou ainda que houve uma mudança no ranking de categorias com melhores vendas. Livros, assinaturas e apostilhas é atualmente o setor com maior volume de pedidos.

Categorias com maior volume de pedidos: 

  • Livros, Assinaturas e Apostilas – 14%
  • Eletrodomésticos – 13%
  • Moda e acessórios – 12%
  • Cosméticos e Perfumaria / Cuidados Pessoais / Saúde – 12%
  • Telefonia / Celulares – 9%

Mesmo fechando o semestre com maior arrecadação, o número de pedidos teve queda de 2% com relação a 2015, chegando ao total de 48,5 milhões de compras.

O futuro do e-Commerce no Brasil

No relatório do E-bit, o CEO do Buscapé Company, Sandoval Martins, afirma que as compras online só tendem a crescer, isso porque oferecem ao cliente uma compra mais consciente e econômica.

Além disso, o número de usuários de internet também está crescendo. A expectativa é de que cheguem a 151 milhões em 2021, aponta um estudo encomendado pela Google e realizado pelo instituto de pesquisa Forrester.

Todos esses indicativos revelam que o setor deve passar de fase no país. Para o Google, o e-Commerce brasileiro está na terceira fase, em que a maior procura é por itens comparáveis, por isso a categoria com maior número de compras é a de Livros.

Na quarta fase, a procura passa a englobar bens subjetivos, que são adquiridos frequentemente. São itens de beleza e alimentação. Essa diversidade de produtos comprados é o que fará com que o comércio eletrônico tenha cada vez mais participação no mercado.

Segundo o levantamento do Google, em 5 anos, o e-Commerce no Brasil deve representar 9,5% do mercado, resultado de um crescimento de 12,4% ao ano, começando já em 2017.

Setores com perspectiva de crescimento

Para quem está pensando em começar um negócio online, setores com maior promessa de procura são os que ainda estão se desenvolvendo no mercado brasileiro, como o de vestuário e de alimentos.

Investir nesses setores é ótimo, pois como estão começando você pode se destacar mais facilmente e a projeção do Google, é de que a cada quatro compras feitas em lojas virtuais em 2018, uma será nesses segmentos. Hoje eles já representam 11% das encomendas do varejo online.

A estimativa do E-bit é de um crescimento de 8% com relação a 2015 e o faturamento deve chegar a 44,6 bilhões. Mesmo que o volume de vendas tenha tido queda de 2% no primeiro semestre, a boa onda de crescimento deve continuar, causando uma recuperação e fechando o ano com cerca de 106,5 milhões de compras online, o mesmo volume registrado em 2015.

Como conquistar uma fatia do mercado

Os números são positivos, a sua reputação online está boa e seu site é rápido. Mas ainda assim seu e-Commerce não está conseguindo crescer? Agora eu vou listar os três principais pontos que os clientes levam em consideração na hora de fazer uma compra de acordo com o E-bit.

Vou ainda te mostrar como você pode usar essas informações para fazer a sua loja virtual vender muito mais.

Preço – 57%

O preço é o fator mais relevante para que os clientes decidam comprar. Como na internet não há limite para comparações, é fácil encontrar o menor valor.

É óbvio que os clientes também vão olhar outros pontos, como a segurança por exemplo. Mas o preço é determinante.

Então invista em boas promoções. Converse com seus fornecedores e veja meios de conseguir um preço mais agressivo. Ofereça ainda outras formas de pagamento, brindes, embalagens diferenciadas.

Crie o conceito de valor agregado. Faça o cliente perceber que ele está comprando mais do que apenas um item, mas sim uma solução e que por tanto, o produto vale o que você está pedindo por ele.

Qualidade – 50%

Além do preço, o cliente quer ter a certeza de que está comprando algo de qualidade, durável. Aqui também se aplica muito bem o conceito de valor agregado.

Na página do produto, deixe bem claro todas as vantagens. Evidencie que o produto é original, se possui garantia e para quanto tempo. Pense até em produzir vídeos mostrando como usar, de que material e feito.

Se a empresa que produz o produto não é muito conhecida, pense também em acrescentar da descrição um parágrafo falando sobre a marca e como ela se preocupa com a qualidade da sua produção.

Atualmente também é muito valorizada a sustentabilidade. Se a empresa que fabrica o que você vende e a sua loja têm esses valores, você já ganha uns pontos com os clientes.

Frete Grátis – 23%

O frete grátis é um assunto polêmico. Atrai clientes, mas pode diminuir os seus custos.

Então use os dados desse post ao seu favor. Ofereça frete grátis para públicos específicos, como clientes com apenas uma compra. Use essa estratégia também para atrair mais público.

Tendo como base as regiões que mais compram, pense em promoções voltadas para elas. Também não descarte a possibilidade de criar parcerias com transportadoras.É preciso criatividade e estratégia para aproveitar a boa onda de crescimento do e-commerce no Brasil, caso contrário, você vai ficar de fora do circuito de compras.

Tente pensar sempre como o cliente e se posicione melhor no mercado. Estudos como o do Google e o do E-bit servem para mostrar como tem sido o ciclo de compras.

Invista em melhorias em todas as áreas da loja, infraestrutura, qualidade dos textos, das imagens, maior gama de produtos ou nichos mais específicos, dependendo do seu público-alvo.

Fique atento às tendências e adapte a sua loja para os dispositivos móveis, esse canal de vendas só tende a crescer.

Espero ter te ajudado a entender um pouco mais do que esperar do e-Commerce no Brasil ainda em 2016 e para os próximos anos. Ajude outros lojistas a terem acesso a esse conteúdo compartilhando o post na suas redes sociais.

Também deixe nos comentários suas dúvidas e opiniões, será um prazer ler e conversar com você.

Caso queira ler mais sobre Loja Virtual, acesse a categoria e-Commerce do Blog

Um grande abraço e até a próxima!

SECNET se torna parceiro Zextras
A seguir:

SECNET se torna parceiro certificado Zextras

SECNET se torna parceiro certificado Zextras